O objetivo deste workshop é ouvir três especialistas em Engenharia de Minas para compreender as diversas tecnologias disponíveis para a mineração, avanços científicos e tecnológicos no setor. Didaticamente três temas serão abordados: as tecnologias de extração, as barragens e seu monitoramento, as alternativas para lidar com rejeitos. Essa compreensão é importante para avaliar a dimensão do atraso tecnológico na exploração atual em Minas Gerais, aparentemente uma das causas da trágica sequência de catástrofes que assolaram Mariana e Brumadinho. A avaliação de recursos científicos e tecnológicos disponíveis e não utilizados é também importante para a proposição de políticas públicas.

Convidados:

  • Professor Roberto Galery (Departamento de Engenharia de Minas, UFMG)
  • Professor Evandro Gama (Departamento de Engenharia de Minas, UFMG)
  • Professor Beck Nader (Departamento de Engenharia de Minas, UFMG)
  • Coordenação: Professor Bernardo Campolina (Chefe do ECN-FACE-UFMG)

Local: Auditório 2, FACE-UFMG
Data: 5 de fevereiro de 2019, terça-feira
Horário: 14h às 17h

O ensaio "Investimento em infraestrutura: uma estrada para o desenvolvimento", de Victor Medeiros e Rafael Saulo Marques Ribeiro é um dos vencedores do concurso promovido pelo jornal Valor e pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) para comemorar os 70 anos de criação da Comissão da ONU sediada em Santiago, no Chile. Os autores são, respectivamente, mestrando e professor de Economia no Cedeplar-FACE-UFMG.

De acordo com a matéria publicada na edição de hoje do Valor,

"Medeiros e Ribeiro enfatizam a relevância dos investimentos em infraestrutura para reduzir a desigualdade de renda e a pobreza. 'A expansão de serviços básicos de infraestrutura traria melhores perspectivas de emprego e salário via seu efeito positivo sobre a produtividade do trabalho em todos os setores da economia', dizem eles, que mencionam o consenso sobre o papel de gastos nessa área para promover o crescimento e o desenvolvimento econômico. Os autores notam que pouco tem sido dito a respeito do caráter regional e social das expansões em infraestrutura. 'Na maioria dos setores envolvidos, a busca pela rentabilidade dos projetos pode fazer com que os investimentos se concentrem em regiões mais ricas e desenvolvidas, capazes de gerar maior fluxo para as empresas em termos de pagamentos das tarifas ou pedágios', escrevem eles. 'Nesse caso, a expansão dos investimentos em infraestrutura poderia ocasionar concentração da renda dentro e entre regiões'."

 

 

Em razão do encerramento do semestre acadêmico e de modo a assegurar a redução de despesas, no período de 26/12/2018 a 20/02/2019 a Faculdade Ciências Econômicas funcionará das 7h às 19h.  No mesmo período, a  Biblioteca antecipará para as 19h o início do seu funcionamento na modalidade "24 horas".

A Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG completou 77 anos de sua fundação neste quinta-feira, 20 de dezembro. Criada em 1941 como entidade privada, a Faculdade foi incorporada à Universidade de Minas Gerais em 1948 e, no ano seguinte, transformada em estabelecimento federal de ensino, juntamente com a Universidade de Minas Gerais. Leia mais sobre a história da FACE.