O curso de Relações Econômicas Internacionais da UFMG teve início em 2010 e é oferecido no período noturno, com duração mínima de 5 cinco anos e é dirigido por um Colegiado de Coordenação Didática. Anualmente, são oferecidas 50 vagas, com uma entrada anual no primeiro semestre de cada ano.

Sobre o curso

O curso de Relações Econômicas Internacionais foi criado em 2010 no âmbito do programa REUNI de expansão das instituições federais de educação superior. Baseado na Faculdade de Ciências Econômicas e oferecido pelo Departamento de Ciências Econômicas, sua proposta é formar profissionais capazes de entender e lidar com os desafios da economia integrada globalmente e a crescente inserção internacional do Brasil.

A proposta acadêmico-pedagógica do curso prevê a formação de profissionais capazes de analisar criticamente, em toda sua complexidade, os problemas que cercam a interação entre as nações no mundo contemporâneo. Para alcançar tal objetivo, o curso recorre intensivamente ao instrumental teórico e analítico oferecido pelas Ciências Econômicas, porém sem deixar de lado as contribuições de áreas como Direito, Ciência Política, História, Geografia e Demografia.

Avaliação

Em agosto de 2014, o curso passou por sua primeira visita de avaliação in loco do Ministério da Educação e Cultura. O processo de avaliação resultou no reconhecimento do curso com atribuição de conceito 5 - a nota máxima conferida pelo MEC aos cursos de graduação do país. Em seu relatório, a comissão de avaliação do MEC destacou a implementação concreta dos princípios de flexibilização curricular e multidisciplinaridade no âmbito do curso:

"A inovação educacional do curso de Relações Econômicas Internacionais é o seu elevadíssimo grau de transdisciplinaridade e flexibilização, conseguindo mesclar de forma bem-sucedida as áreas de Economia e de Economia Política Internacional em um modelo que aproveita de maneira eficiente a estrutura docente de uma instituição do porte da UFMG. A comissão afirmou ainda que o curso de Relações Econômicas Internacionais é um “exemplo de aplicação bem-sucedida da expansão de atividades e recursos proporcionada pelo programa REUNI".

De acordo com os resultados do ENADE 2012, dentre os 78 cursos de graduação em Relações Internacionais avaliados pelo MEC, apenas quatro obtiveram conceito máximo. Já na área de Ciências Econômicas, onde 185 cursos foram avaliados, apenas oito foram contemplados com a nota máxima, dentre eles o curso da UFMG, do mesmo departamento. Assim, a obtenção de conceito 5 pelo curso de Relações Econômicas Internacionais em sua primeira avaliação coloca a UFMG, desde já, como parte de um seleto grupo de instituições acadêmicas de excelência que atuam nessa área no Brasil.

Áreas de atuação

Quem optar por essa carreira irá desenvolver conhecimentos sólidos nas áreas de Economia, Direito, Ciência Política, História e Demografia, tendo ainda a possibilidade de expandir sua formação em áreas afins. Aquele que se graduar no curso de Relações Econômicas Internacionais poderá atuar, por exemplo, em órgãos públicos, nas diversas áreas que lidam com processos de integração econômica ou na elaboração, planejamento e execução de acordos bilaterais entre países. No setor privado, esse profissional poderá trabalhar em qualquer empresa que atue no âmbito internacional, seja em multinacionais ou em empresas brasileiras que queiram se internacionalizar e ampliar seus negócios.

Infra-estrutura

O curso de Ciências Econômicas é sediado no novo prédio da Facudade de Ciências Econômicas, no campus Pampulha da UFMG. Convenientemente construido entre a Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FAFICH) e o Instituto de Ciências Exatas (ICEx) da UFMG, o novo edifício da FACE oferece amplo espaço de salas de aula e auditórios. Além disso, os alunos do curso têm acesso a uma biblioteca aberta 24 horas por dia, a laboratórios de informática, além de salas de aula equipadas com microcomputadores, vídeos, aparelhos de televisão e projetores multimídia.

Oportunidades ao longo do curso

Além de poder se intergrar à vibrante vida universitária da Faculdade de Ciências Econômicas através da participação em seus tradicionais Diretório Acadêmico Francisco Iglésias e Associação Atlética, os alunos do curso de Relações Econômicas Internacionais têm várias opções para enriquecer sua formação ao longo do curso. No que tange às bolsas de estudos, existe uma série de oportunidades através do programa de Bolsas de Iniciação Científica, assim como de bolsas de apoio científico de editais de área e universal do CPNq, Capes e FAPEMIG, que em geral têm duração de seis meses a um ano. Além disso, os alunos de segundo e terceiro período têm a chance de participar dos processos seletivos do Programa de Bolsas da FACE. Neste programa, o aluno tem a possibilidade de ser bolsista até o final do curso, desde que mantenha alto índice de rendimento acadêmico, além de desenvolver atividades individuais e em grupo. Finalmente, existem oportunidades de bolsa em atividades de extensão, realizadas pelos professores do FACE através do Cenex/FACE.

Além da iniciação à pesquisa e à extensão, outra grande oportunidade de potencializar o aprendizado ao longo do curso de graduação é a participação em programas de intercâmbio internacional. Essa opção é cada vez mais comum no âmbito da UFMG em geral e da Faculdade de Ciências Econômicas, em particular. Através dos programas oferecidos através da Diretoria de Assuntos Internacionais da UFMG, os alunos têm a chance participar de processos seletivos para cursar disciplinas em uma ampla gama de universidades estrangeiras.

Finalmente, cabe ressaltar que os alunos oriundos de famílias com menor poder aquisitivo têm acesso ao amplo apoio da Fundação Universitária Mendes Pimentel (FUMP/UFMG), que além de bolsas, oferece programas de alimentação, moradia universitária, assistência à saúde e material didático.

Corpo docente

O curso é ministrado por professores de diferentes Departamentos da UFMG: Ciências Econômicas, Demografia, História, Ciência Política, Direito Público e Introdução ao Estudo do Direito. Em sua maioria, são professores ligados ao Departamento de Ciências Econômicas da FACE-UFMG, que também lecionam disciplinas dos cursos de pós-graduação (mestrado e doutorado. Atualmente, todos os professores do quadro permanente do Departamento possuem doutorado ou pós doutorado em instituições de referência no Brasil e no exterior. 

Estrutura do Curso

Duração de 05 anos

Parte Obrigatória: 5 a 6 semestres

Conteúdo:

  • Disciplinas introdutórias: Introdução à Ciência Econômica e Estado, Economia e Relações Internacionais;
  • Disciplinas instrumentais: Economia matemática e Métodos Quantitativos e Aplicados I e II;
  • Disciplinas teóricas de Economia: Análise Microeconômica, Análise Macroeconômica I e II, Economia Política, Economia Industrial, Desenvolvimento Econômico;
  • Disciplinas teóricas de Relações Internacionais: Economia Política Internacional I e II, Economia Monetária e Financeira I e II, Organização Econômica e Internacional, Economia da América Latina, Blocos Econômicos e Integração Regional, Finanças Internacionais e Desenvolvimento;
  • Disciplinas de História: História das Relações Internacionais I e II;
  • Disciplinas de Ciência Política: Introdução à análise Política e Instituições e Regimes Internacionais;
  • Disciplinas de Demografia: Dinâmica Demográfica e Mobilidade Espacial;
  • Disciplinas de Direito:  Introdução ao Direito e Direito Internacional Público;
  • Disciplinas aplicadas: Economia Internacional, Teoria dos Jogos e Escolha Pública, Sistemas Econômicos Comparados.

Parte Optativa: 3 a 4 semestres

Nossas disciplinas optativas abrangem disciplinas dos Departamentos de Ciências Econômicas, de Ciência Política, Demografia e História.

No final do curso, o aluno deve ainda fazer as seguintes disciplinas:

  • Técnicas de Pesquisa;
  • Monografia.

PERCURSOS

Existem dois percursos vigentes no Curso de Relações Econômicas Internacionais.

Percurso 1 – Bacharelado/ Formação Livre

Disciplinas obrigatórias: 2.280 créditos

Disciplinas optativas: 540 créditos

Formação Livre: 120 créditos

Percurso 2 – Bacharelado/ Formação Complementar Aberta/ Formação Livre

Disciplinas obrigatórias: 2.280 créditos

Formação Complementar Aberta: 300 créditos

Disciplinas optativas: 180-300 créditos

Formação Livre: 60-120 créditos